quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Ressaca / 6 Mg

Ressaca

Me disseram que o álcool vai me matar.
procuro não pensar nisso.
Estou tentando esquecer a noite anterior.
Pulso afasta os pontos.

Nunca quebrei um osso do corpo.
Mas já quebrei a cabeça várias vezes.
O sangue escorria pelo rosto.

Outra raiva.
Outra preocupação.
Outro gosto.
A mesma merda.

Caminho até a praça.
Seu Mundico e a banca de revistas.
Umas crianças estão correndo.
São feias.
Aposto que já quebraram a cabeça e alguns ossos do corpo.
Aposto que são piolhentas e fedorentas.


- Billy Podre
***********************************************************************************************


6 MG

Noite de sexta. Deitados em um colchão velho em apê que era um bagunça e que traduzia muito a sua personalidade.

Conversamos amenidades. Tu desidiste ler teus contos pra mim. Histórias de amores farras e desilusões passadas. Talvez superadas. Em poucas horas percorri tua vida através de algumas páginas de caderno.

Acho que (quase) ninguém gosta de ver através dos olhos de outro. Nesse caso, palavras de outro. Talvez por um apego besto à imagem que temos de nós mesmos.

Quando me encontrei narrada naqueles textos, confesso que me senti exposta com a ousadia de tua tentativa de colocar em palavras algo que não precisava de narração: nós.

Noites de sexta. Continuo tateando paredes e folheando cadernos, procurando por alguma coisa que faça sentido dentro daquele quarto. Sobre mim. Sobre tu. Sobre nós.



- Bóris.

Nenhum comentário:

Postar um comentário