terça-feira, 15 de maio de 2012

As desculpas de um cão quase arrependido


      

Desculpe-me por ter sumido.
mas realmente me importei com coisas aparentemente menos importantes.
Como o meu egoísmo, com a minha arte, como o meu futuro incerto.
Prometi a mim mesmo que só iria dar noticias depois que conseguisse me sentir
presente, bem…
Como sempre estou te esperando.
Com meus braços frágeis sempre abertos
os últimos suspiros ofegantes do ultimo ano turbulento,
mesmo assim ainda há algo que tira um pouco as coisas do lugar.

Prometi que nunca sumiria.
Prometi momentos perfeitos,
Desde o primeiro trago de um cigarro,
Do primeiro copo da melhor cerveja,
Da primeira música como trilha sonora de um romance,
Do primeiro beijo e abraço caloroso ao apertado sentimento de um adeus
Das juras eternas de amor.
E por que não dizer também da primeira discussão?
Onde nunca imaginaríamos das besteiras que um iria falar ao outro.

Ainda me sinto preso a ti.
Desculpa, se meu charme é doloroso e odioso.
Aliás, já nem sei se ainda é isso.
Assim como talvez você imagine que já não temos mais nada.
Sempre quando eu lembro que sentia que não poderia mais ser de ninguém e você reapareceu.
 Sempre me acabo em risadas, e ao mesmo tempo em lágrimas.
Me mostrando, mesmo sem perceber que a vida é mais que um simples horizonte sem fim.

Desculpe mas ainda tenho pequenos detalhes a ser melhorado.
Tentarei conseguir olhar em seus olhos sem me sentir constrangido.
Ah... Eu que nunca me senti constrangido e inabalável, acabei cedendo a mínimos detalhes fúteis.
Há pouco eu deixei de andar descalço sobre as pedras,
já estou pisando na água fria e calma,
em bares, ainda distante dos amigos, mas, perto das coisas que faço e amo.
Como dormir cada noite sem perder o sono.
Engoli o almoço rapidamente para não sentir o gosto.
Minha alma transpira alivio enquanto escrevo emquilos de papeis.

E toda noite acaba adormecendo em lembranças retrocedidas,
Acordo em contemplação. 
Porque eu sei que você está por ai.
E… é tudo o que sei. 
O que sinto.
Então, por enquanto, continuar assim no momento é a maior coisa que possoprometer.
A você, aos amigos e a mim.