domingo, 25 de setembro de 2011

Beijos em litros (O amargo caso de um amor enfermo)


No meu quarto sujo e abafado, Alguém precisa de um leito hospitalar
Me via vomitando e sentindo as tripas na boca, eu não queria te acordar
Você Sacaneava do meu sofrimento, Um novo amor que conseguiu me passar à rasteira
um pobre diabo enfermo, que nunca vai poder superar todos os defeitos.

Ofegante, ardendo em febre, você deixou de me abraçar
Mas você tem um charme que sempre me encanta.

Ela me possuiu,
mas dessa vez veio um espírito maligno
Que me disse:
- prepare-se pra mais uma daquelas, e de varias outras que iram vim.
E eu, tão perdido, me apaixonei
Me desencontrei tentando me encontrar.

Você sabe bem mais de mim do que eu de você.
O gosto de seus beijos e a depressão moral, que no outro dia tento esconder.

Quando eu menos esperei, você me surpreendeu em me trair
Porém nada mais me deixa triste, com tantas outras coisas boas que encontrei
Quando eu menos esperava, a vida não falhou em me surpreender
não me sinto bem, agora percebo que tenho tanto a perder.

5 comentários:

  1. E depois dizem que amor é só lucidez...Que nada, alguns amores cegam, concordo com a tua visão.

    ;)

    ResponderExcluir
  2. Poxa, que droga, essa moça é uma boba por ter feito isso com você.

    Não fica assim, o tempo vai resolver esse teu dilema.


    ;*~

    ResponderExcluir
  3. Ironicamente, ou não, eu me vi em alguns trechos deste poema. Mesmo agora sendo passado.

    ResponderExcluir
  4. vivendo (levando porrada) e aprendendo.. :D
    Quem nunca viveu isso?

    ResponderExcluir
  5. :) billy, a vida é foda, pelo menos vc bebe, e eu que nem isso. :\

    ResponderExcluir